Vinhos que convencem no Essência do Porto

Evento | 2017-02-28

Ao Essência do Vinho 2017, no final de fevereiro, levámos vinhos que a crítica selecionou. Sem formalidade nem galardões, da Vidigueira, Campo Maior, Portalegre, Alenquer e Douro, esta foi a prova de um roteiro de vinhos de Portugal com distinção e dos quais gostamos muito. Dizia de nós a organização do evento, as D’Uva têm comum “uma sensibilidade muito particular, uma perspicácia bem acima da média e uma força de vontade de fazer bem que convence mais de meio mundo”. O elogio é também a nossa responsabilidade.

 

Vinhos em prova:

 

Grande Rocim DOC Reserva 2013 - "(...) É um vinho intenso, sólido, robusto, apimentado e saboroso. Um magnífico exemplo do grande potencial da casta Alicante Bouschet, só lançado nos melhores anos. Os taninos são maduros e a barrica está muito bem integrada” – Público (92 pontos)

 

Quinta Vale D. Maria Vinha da Francisca 2014  - “Impressiona desde logo no aroma e pela qualidade da fruta vermelha madura, pelo caráter e complexidade. Com um perfil algo afastado do padrão fruta/barrica, revela notável polimento de taninos e equilíbrio geral. Um tinto requintado a mostrar classe pura” - Revista de Vinhos (18 pontos), Wine Enthusiast (95 pontos)

 

Mirabilis Grande Reserva Tinto 2013 - “Terceira edição deste vinho. Só uvas da quinta, sem regras fixas de castas. Aqui temos um tinto de grande polimento, requintado na fruta, perfeito na integração da barrica, com um grande desenho de boca, texturado, rico, sumptuoso” – Revista de Vinhos (18 pontos), Robert Parker (94 pontos)

 

Essência do Peso tinto 2014 - “Da colheita de 2014 e numa aposta que recaiu em dois talhões de Syrah de solo argilo-calcário ligeiramente diferentes [da Herdade do Peso]: um com mais areia e melhor drenagem; o outro mais limoso e com maior. A soma dos dois [terroirs] é um tinto de encher a boca, muito rico e imponente, sólido mas elegante e menos pesado do que sugere o seu volume alcoólico” -  Público (91 pontos), Revista de Vinhos (17,5)

 

Poças Porto Colheita 2001 - “É um Tawny de qualidade superior, feito com os melhores lotes de 2001. Cor aloirada, aroma concentrado com notas de frutos secos, paladar elegante, seco, muito boa acidez, final longo e aveludado. Ótimo como digestivo ou a acompanhar queijos variados, doces, chocolates, frutos secos. Servir à temperatura de 18°C” – Revista Visão. Wine Enthusiast (95 pontos)

 

Quinta do Pinto limited edition marsanne & roussanne 2015 - É a única rosa branca do bouquet D’Uva no Essência do Vinho 2017. Edição limitada das castas francesas marsanne e roussanne, plantadas na quinta, em Alenquer, surge apenas em anos de excecional qualidade – a anterior edição foi em 2010. Este Quinta do Pinto, agora lançado, ainda não tem pontuações, mas é um exclusivo que vale a pena descobrir.

 

Monte da Penha Reserva tinto 2010 que recebeu medalha de ouro em 2015 - "(...) Os vinhos [de Monte da Pena] são diferentes de tudo o que o Alentejo oferece, apresentando-se mais frescos, autênticos, vivos e rústicos que o costumeiro, mesmo para a região. São vinhos maioritariamente revoltos, francos e espigados, rigorosos e focados numa fusão ditosa entre o tradicionalismo e o modernismo (...) que melhoram com a idade, com o estágio em garrafa, com os ensinamentos do tempo” – Rui Falcão. GOLD (International Wine Challenge)

 

Pai Chão Tinto 2013 - E às vezes apetecem outras palavras para descrever o vinho que se faz, porque os aromas são também emoção: “Campo Maior é uma terra que se toca com as mãos, se rega de sentimentos e se vindima com o coração. Pai Chão é a homenagem do Comendador Rui Nabeiro a esta terra e este é o seu vinho, que só acontece quando a natureza se dá ao homem” – Adega Mayor. GOLD (Mundus Vini)

 

D'Uva no Sommelier Wine Market